Festivais, Mostras e Afins

10/10/2016 14:00

X Mostra do Fomento à Dança 2016

10ª MOSTRA DO FOMENTO À DANÇA 2016

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

Entre 5 e 22 de outubro, São Paulo recebe a X Mostra do Fomento à Dança. Ao todo, 34 núcleos artísticos, mais um grupo convidado de cada uma das quatro regiões da cidade, se unem em uma maratona de 32 espetáculos e intervenções urbanas, oficinas, sessões de vídeodança, JAMs, lançamento de livro, exposição, rodas de conversa e a realização do I Encontro Latino-Americano de Gestores de Dança – Identidades e Estratégias de Cooperação.

 

ESPETÁCULOS | PERFORMANCES | INTERVENÇÕES

 

ESPETÁCULOS

Dia 10/10 (segunda-feira) 15h

Tupiliques - O Espetáculo

Repentistas Do Corpo

Mistura de dança, teatro, percussão corporal em movimento e humor, “Tupiliques – O Espetáculo” é livremente inspirado no livro “Tupiliques – Heranças Indígenas no Português do Brasil”, do escritor César Obeid, que se utilizou dos limeriques para rimar palavras indígenas, de origem Tupi. Os limeriques são uma forma de poesia inglesa que apresenta situações engraçadas ou absurdas. A Cia. Repentistas do Corpo recriou este universo “tupilicoso” de palavras e realiza um espetáculo lúdico e ritmado onde os poemas, cantados, dançados e falados pelos intérpretes, conduzem crianças e adultos por um Brasil de natureza, bichos, frutas, personagens do folclore, comidas e lugares batizados pela língua Tupi.

 

Dia 11/10 (terça-feira) 19h

Cartas Individuais – Experimento poético sobre imagem em movimento

A Cozinha Performática – Marcos Moraes

A poeta Natalia Barros desenvolve leituras poéticas que constroem paisagens no encontro da palavra com as imagens geradas pelo vídeo-realizador Osmar Zampieri, durante o processo de criação do vídeo Sabroso - um dos “pratos” da Cozinha Performática. ‘Cartas Individuais’ é o título da performance apresentada na Movimenta#2, Festival de Performances na Galeria Mezanino, São Paulo, em julho de 2016. Para a 10a Mostra de Fomento, Natalia recria a performance acompanhada de Marcos Moraes, em um experimento que se desdobra em cena: ‘Cartas Individuais: experimento poético sobre imagem em movimento’.

 

Dia 11/10 (terça-feira) 20h

Movimento para um homem só

Perversos Polimorfos

O ponto de partida para a pesquisa corporal e estética de “Movimento para um homem só” foi a ocupação “Better out than in”, parceria entre Banksy e os artistas brasileiros Os Gêmeos. Com trabalhos criados diariamente em um cenário inóspito - embaixo de uma ponte de Nova Iorque -, as intervenções aconteceram durante o mês outubro de 2013, como forma de satirizar as galerias de arte e apoiar o movimento Occupy, que levou jovens às ruas para protestar contra a corrupção e a desigualdade econômica e social.

 

Dia 12/10 (quarta-feira) 19h

Beija minha mão

Cia Danças Cláudia De Souza

Dentro da pesquisa a respeito do Samba, sua origem e tradição, surgiu a proposta da Trilogia Samba. Dessa investigação, dois trabalhos já estão no repertório da Cia: Profanação (2012) e Roda de Pólvora (2014). O terceiro e último trabalho, “Beija minha mão”, estreia em 2016 encerrando as comemorações dos 20 anos da Cia Danças Claudia de Souza. Em Beija minha mão, a Cia verticaliza a compreensão sobre o Samba enquanto um processo ritualístico, que vem dialogar com o interesse de tratar os aspectos sociais e relacionais da cultura brasileira para além de seu folclore. O espetáculo se desenvolveu a partir da construção de um estado corporal - o estado de Liminaridade - subjetivo de colocar-se no limite, ou entre dois estados diferentes de consciência e existência, exigindo do intérprete uma entrega, presença, atenção e uma fisicalidade própria. Este estado de Liminaridade vem, então, somar elementos e sensações à pesquisa de linguagem desenvolvida ao longo desses 20 anos de existência da Cia.

Projeto “Danças 20 Anos” – 18º Fomento à Dança

 

Dia 13/10 (quinta-feira) 19h

Blue

E² Cia de Teatro e Dança

“Blue” é o mais novo trabalho da E² Cia de Teatro e Dança, sob direção de Eliana de Santana e inspirado na obra plástica do artista britânico Chris Ofili. Esta peça de dança faz uma reflexão poética sobre a cor azul, filtrada pela música blues, herança dos escravos negros no Delta do Mississipi. Em algum lugar entre os acordes ancestrais do blues e a tinta azul de Ofili, nasce esta dança “Blue”.  Reflexões estéticas e sociais são os motivos inspiradores nesta conversa com o azul que, assim abordado, se transforma em cor-referência e apoio poético para os dizeres coreográficos do corpo e da cena. 

 

Dia 15/10 (sábado) 19h

Procedimento 2 para lugar nenhum

Vera Sala

Para a bailarina Vera Sala, processo de criação é uma rede ou conjunto de acionamentos e conexões que se formam e que vazam para além do chamado “produto artístico”. Seus trabalhos, sempre em processo contínuo de criação e transformação, contribuem para fomentar novas perguntas, reflexões e experimentações, criando instabilidades e “perturbações” naquilo que já está instaurado no corpo e nos seus modos de proceder. Em “Procedimento 2 para lugar nenhum”, “o tempo suspenso expõe fendas no corpo. No esgarçamento deste intervalo do tempo, o corpo se exaure, esvazia, dissolve seus contornos e limites. O silêncio, o desaparecimento e a inoperância se instauram não como passividade, mas como resistência”. (Vera Sala)

 

 

Dia 16/10 (domingo) 17h

Esculturas Breves

Musicanoar

“Esculturas Breves” surge na discussão entre corpo e cidade a partir de moveres entre aproximações e distanciamentos. São atos de vida que vão se delineando a partir do nosso desejo em estabelecer ações artísticas enquanto pensamentos que expõe o indivíduo nos espaços públicos a partir de convivências nos grandes centros urbanos. Entendemos estas ações como intervenções, isto é, acontecimentos performativos que expõem nossa perspectiva em relação aos indivíduos e espaços que comungam nesse urbano nos implicando e interpelando. Entre confrontos e confluências,  convocamos possibilidades de coexistências, que nos devolvem percepções da e na realidade com a qual dialogamos.  “Esculturas Breves” surge de indagações no processamento de um discurso focado na corporeidade urbana. Nessa perspectiva, o pensamento de moveres habita esta instalação coreográfica gerada entre distintos pensamentos e poemas corporais. No percurso dessa pesquisa surge uma dimensão crítica do mover.

Projeto Nufricar – 20º Fomento à Dança

 

Dia 17/10 (segunda-feira) 15h

Para Todos os Seguintes

key zetta e cia

“Para Todos os Seguintes” é o primeiro espetáculo infantil da key zetta e cia. Ambientado no universo da mágica, este trabalho convida as crianças de todas as idades a mergulharem na intensidade da dança e da criação de modo vigoroso. Cinco integrantes dançam vigorosamente criando encontros e efeitos, ao som da guitarra ao vivo, gerando um fluxo de acontecimento e suas variações inesperadas.

 

Dia 19/10 (quarta-feira) 19h

Coreô 

Caleidos Cia de Dança

“Coreô” é uma dança em jogo e um jogo em cena. Desdobramento do trabalho do Núcleo de Pesquisa Coreológicas, coordenado por Isabel Marques, o espetáculo compartilha cenicamente jogos que, ao longo dos 20 anos do Caleidos Cia de Dança, vêm sendo desenvolvidos , tanto para o aprendizado da linguagem da Dança/Laban, quanto para a construção cênica dos espetáculos da cia.  A proposta deste work in process é dançar jogando, jogar dançando: “Coreô” propõe a criação de cenas em tempo real a partir de jogos que proporcionam dança. Os jogos oferecem princípios e desdobramentos para construção das cenas de dança. Dançando, os jogadores compartilham com o público propostas que podem ser jogadas ou assistidas.

Projeto Lapa, eu vou a pé – 18º Fomento à Dança.

 

Dia 20/10 (quinta-feira) 14h30

Percurso: Largo de São Bento – Praça Antônio Prado. Centro

Ultrapássaros

...AVOA! Núcleo Artístico

Fluxo. Corte. Percurso. Verticalidade, círculos e espirais. “Ultrapássaros” integra uma série de ações que tem como ponto de partida o corpo em diálogo com uma natureza urbana do centro de São Paulo e com a história da cidade presente nas brechas – concretas e simbólicas –, aqui e agora. Rito. Na Rua São Bento, revoadas são avistadas: pombos, andorinhas, maritacas, urubus. Uma dança-acontecimento, vivente entre o que está na terra sob o asfalto e acima das cabeças. Multidão. Vestígios e intensidades de uma coreografia  entre duas igrejas, uns edifícios altos, algumas encruzilhadas, milhares de pessoas, mantras urbanos, memória indígena, rios invisíveis, gestos de trabalho, policiais, correntes de ar, histórias de vida, colunas vertebrais, palavras, corações e pés. Ultrapassar em rito. Ultrapássaros. 

Projeto Vir-a-Ser, para  Manutenção de pesquisa artística – 20º Fomento à Dança

 

 

Dia 20/10 (quinta-feira) 19h

Desmonte

Juliana Moraes

Desmonte baseia-se na experiência vivida pelo casal Juliana Moraes e Gustavo Sol (codiretor da peça), quando ele foi tratado de uma doença grave. Poemas de Vaslav Nijinsky, vozes coletadas no cotidiano e textos de Juliana são editados em partitura sonora que a bailarina escuta com fones de ouvido. Movimentos do balé clássico e sua disciplina militarizada, além de controles externos por campainhas, pressionam o corpo da performer fazendo do limite a estrutura cênica da peça.

O solo lida com muitas camadas de signos, emoções e sensações: a dor do outro para não se perder na própria, a fala que se transmuta em gestos, o balé e sua relação disciplinar pela repetição, estados de presença poética entre o controle e a entrega, o limite não como representação, mas como estrutura cênica.

 

Dia 21/10 (sexta-feira) 14h30

Vale do Anhangabau. Centro

Dança por correio

Zumb.boys

“Dança por Correio” tem o desejo de comunicar-se com os transeuntes – viajantes de sua própria cidade e turistas de uma vida dedicada ao infinito trabalho e busca pelo conforto –, utilizando seus corpos para traduzir as sensações de um “ser urbano”. A intenção é interferir nos fluxos cotidianos, na paisagem urbana, fazendo com que as pessoas escolham uma carta e, a partir dessa escolha, o intérprete-criador traduzirá os sentimentos e sensações que a carta expressou, diluindo a arte no cotidiano.

 

Dia 21/10 (sexta-feira) 19h

Não te abandono mais, morro contigo

Cia Carne Agonizante

“Não te abandono mais, morro contigo” apresenta dois amantes cansados e desiludidos pelo fim de uma paixão que se diluiu por conta da inevitável ação do tempo. O que prevaleceu foi o amor, como sentido de ausência de toda esperança. Ambos já estão mortos desde o momento em que se olham e se tocam. Suas almas já partiram cabisbaixas para o desconhecido há tempos. Como um grito abafado no ar, se entrelaçam desesperadamente em uma cama, numa espécie de dança da morte, completamente destituídos de tudo, exceto de uma inevitável necessidade de sexo para celebrar o desenlace. “Não te abandono mais, morro contigo” é a insuportável constatação de que nada restou para eles; o desejo de se libertarem deste nó górdio os faz cúmplices e os torna terrivelmente unidos.  Um brinde amargo ao fim.

 

 

Dia 21/10 (sexta-feira) 20h

Puntear (intervensão - percurso entre CRDSP e OLIDO)

Cia Damas Em Trânsito E Os Bucaneiros

“Puntear” é uma performance de ocupação de espaços urbanos e não convencionais em que a Cia., por meio da improvisação em dança e em música, faz uma leitura corporal e sensorial do lugar, valendo-se da sua arquitetura, sons, dinâmicas. “Puntear” foi criado em 2007, dentro do projeto “Por fim novas e repetidas”. Nesta proposta de intervenção, a Cia. busca distribuir-se pelo espaço, causando a diluição do foco, mudando-o constantemente, chamando a atenção do público para diferentes ângulos e novas possibilidades de olhar, habitar e intervir no espaço no momento presente. A dança pode acontecer em solos, duetos ou em grupo, pode-se dançar no silêncio (aproveitando o ruído do local) ou com a música construída ao vivo pelo grupo. Os habitantes desse lugar passam de espectadores a construtores, transformadores e vivenciadores de seus próprios espaços cotidianos.

 

OFICINAS

Dia 10/10 (segunda-feira) 14h às 17h

Novas Fronteiras do Olhar - Oficina Aberta

Fernanda Amaral – Cia. Dança Sem Fronteiras  Conduzida pela coreógrafa Fernanda Amaral, com participação dos bailarinos com e sem deficiência do elenco da Cia. Dança sem Fronteiras, a oficina irá trabalhar, por meio de técnicas de consciência corporal, improvisação, dinâmicas de DanceAbility e dança-teatro, com uma abordagem na cultura corporal do movimento acessível a todos, acolhendo a diversidade. Ao mesmo tempo, possibilitará explorar e incorporar noções básicas e essenciais para o processo de improvisação.

 

Dias 10 e 14/10 (segunda e sexta-feira) 14h às 18h

Estudos em Dramaturgia Coreográfica e Direção

Ricardo Gali – Cia Perversos Polimorfos

A proposta é formar um grupo de estudos, com 15 participantes, especializados em dança ou não, sob orientação de Ricardo Gali, com o objetivo de estimular a discussão a respeito da dramaturgia e direção em dança contemporânea. O intuito é expor as relações e princípios advindos de outras áreas artísticas, como o cinema e o teatro, e a utilização desse material em nossas encenações.

A noção de dramaturgia vem sendo entendida, por nós, como discurso de cumplicidade, uma vez que em cada obra nasce uma dramaturgia própria, que parte da subjetividade do coletivo de artistas envolvidos na sua criação.

https://www.facebook.com/CiaPerversosPolimorfos/?ref=ts&fref=ts

http://www.perversospolimorfos.com.br/

 

Dias 11, 13 e 14/10 (terça, quarta e quinta-feira) 14h às 17h

Exercícios entre a Graça e a Gravidade

Marcos Moraes – A Cozinha Performática

Este trabalho é dirigido a todos os interessados em desenvolver suas aptidões expressivas, corporais e solidárias, especialmente aqueles com atenção voltada às artes performativas (dança, teatro, música, performance), não importando o grau de experiência anterior ou a idade.

www.acozinhaperformatica.com

 

 Dia 13/10 (quinta-feira) 14h às 16h 

Improvisação e Composição

Luiz Fernando Bongiovanni – Mercearia de Ideias

Esta oficina busca instrumentalizar os participantes com ferramentas teórico-práticas para que possam, tanto iniciar reflexões sobre coreografia, quanto colaborar em processos coreográficos. Tem como objetivo principal introduzir e desmistificar o assunto para aqueles que pouco ou quase nada fizeram de improvisação. A técnica se baseia na relação que pode ser criada a partir de interações entre partes corporais e espaço e no conceito de tarefas. As partes corporais podem ser indicadas como móveis e alguns pontos espaciais designados como fixos. A partir daí, são propostas  tarefas – enunciados teóricos que demandam do aluno uma resolução prática, como por exemplo, com o ombro direito tocar o ponto da diagonal.

 

Dia 13 e 14/10 (quinta e sexta-feira) 15h às 17h 

Método de Ensino Zumb.boys

Márcio Greyk – Zumb.boys

Trabalhando com a movimentação da dança de rua no estilo b-boy, a aula desperta elementos que são utilizados para qualquer linguagem corporal, seja dança, outros tipos de arte cênica ou apenas a movimentação cotidiana. Com uma preparação física, reflexões teóricas e práticas, objetiva ser um facilitador para a dança que será apresentada.

www.zumbboys.com

 

Dia 14/10 (sexta-feira) 14h às 17h 

Compartilhamento #3 - Estudos Coreográficos e Dramatúrgicos para espaços públicos e paisagens urbanas. 

Cia. Artesãos do Corpo

A Cia. Artesãos do Corpo convida para o terceiro compartilhamento do projeto "Tempo Suspenso", contemplado pelo 18o edital do Fomento À Dança.O projeto prevê quatro encontros reservados ao exercício da escuta, para criar, por meio do contato com o público, colaboradores e provocadores convidados, uma rede de afetos, interesses e confluências. O terceiro encontro, “Estudos Coreográficos e Dramatúrgicos”, tem o desejo de compartilhar com os participantes os estudos coreográficos que a Cia. desenvolve, desde 1999, nos espaços públicos da cidade, com a proposta de “Dançar a rua, na rua, com a rua e apesar da rua“.

www.ciaartesaosdocorpo.art.br

 

 

ENCONTROS

Dia 10/10 (segunda-feira) 19h

V ENCONTRO DAS ARTES DO CORPO – PUC-SP

Aberto ao público em geral, os Encontros, organizados pelos alunos do curso de Comunicação das Artes do Corpo da PUC-SP, reúne estudantes, professores e artistas de todas as áreas, de dentro e fora da Universidade, para dialogar sobre questões relacionadas à arte. Modos de produção, difusão, compartilhamento, políticas públicas, leis de incentivo, manutenção de trabalhos artísticos, mercado e economia para a  Arte são alguns dos temas abordados no debate.

           

Dias 17 e 18/10 (segunda das  14h às 20h e terça-feira das 10h às 17h)

Encontro Agenda Brasil Frente Política Permanente Nacional da Dança (Gestores de Dança do Brasil)

Antecedendo a abertura oficial do Encontro Latino-Americado dos Gestores de Dança, nos dias 17 e 18, haverá rodada nacional de rearticulação de gestores nacionais, com vistas a debater, avaliar e acompanhar o conjunto de leis, decretos, projetos de lei em tramitação e portarias que regulamentam a atuação e a participação social dos profissionais da Dança, seja nas relações trabalhistas, na condução da formação artística, nos aspectos educacionais, nas questões autorais, entre outras.

Coordenação Rui Moreira

 

Dias 18/10 (terça-feira) 20h30

Encontro Latino-Americano de Gestores de Dança – Mobilidade, Identidades e Estratégias de Cooperação

Abertura

Com a participação de representantes Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Venezuela, México e Equador, além de 14 estados do Brasil e várias cidades do interior e região metropolitana de São Paulo, o Encontro Latino-Americano de Gestores da Dança tem o objetivo de colaborar no fortalecimento das estratégias de cooperação, desenvolver as capacidades dos fazedores de dança e integrar as redes existentes de intercâmbio e circulação de artistas e obras na América Latina.

As palestras e rodas de conversa acontecem a partir de 19 de outubro, diariamente das 9h às 17h30, e encerram no sábado, das 14h às 17h.

Realização: CRDSP – parceria da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, com a Cooperativa Paulista de Trabalho dos Profissionais de Dança.

 

 

EXPOSIÇÃO

De 10 a 22/10 – Centro de Referência da Dança. Centro

(segunda, das 13 às 21h; terça a sábado, das 10, às 21h)

Exposição de fotos “Damas em Trânsito - 10 Anos” com exibição do vídeo “Sobre Ruas e Rios”

Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros

 


Telefone: (11) 3214 3249

Email: centrodereferenciadadancasp@gmail.com

Endereços: Baixos do Viaduto do Chá s.n., Galeria Formosa – Centro - CEP 01037-000 São Paulo/SP

Horário de Funcionamento
Segunda-feira: 13:00 às 21:00
Terça à Sexta: 10:00 às 21:00
Sábado: 10:00 às 20:30
 
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo